O som que veio de longe…

Festa de Nossa Senhora do Rosário  

Ê, ingoma, ora vamo chegá no Rosário !

Ah ê ingoma !

Festa de Nossa Senhora do Rosário - Minas Novas - MG - Junho 20 

Os africanos trazidos como escravos para o Brasil vieram dos mesmos lugares daqueles que foram para os Estados Unidos, levados pelos mesmos traficantes.

Lá, no meio do cultivo de algodão, tabaco e milho, principalmente nos estados do sul do país, o ambiente e a cultura que eles encontraram fizeram com que suas tristezas e esperanças se convertessem numa música de lamento que, com o tempo, foi chamada de Blues e se tornou a ancestral do Rock and Roll , do Jazz, do Soul e também do Gospel. Uma música com menos percussão e mais melodia.

Festa de São Benedito

No Brasil jogados nas plantações de cana de açúcar, no garimpo de ouro e diamantes e depois no café, os escravos tiveram, sob este aspecto, uma paradoxal liberdade, maior do que os traficados para a América do Norte, pois continuaram fazendo do tambor seu companheiro e puderam manter aqui uma música e uma forma de festejar parecida com o que tinham na África e que se tornaria o Candombe, o Jongo, o Samba de Roda, o Tambor de Crioula e uma série de outras expressões onde o couro esticado sobre a madeira marcava o compasso e definia o ritmo das celebrações. Os escravos e seus descendentes aprenderam também a usar os tambores trazidos com o militarismo europeu e fizeram das caixas e das zabumbas, mais leves do que os pesados n’gomas escavados em troncos, os instrumentos para levar as congadas, os maracatus e os bumba meu boi para as ruas, enquanto os tambores ficavam nos terreiros.

Candombe do Aude - Jaboticatibas - MG

Sofreram também a influência dos africanos islamizados de onde veio a palavra que se tornaria – atabaque – o nome que passou a ser usado para denominar qualquer um dos vários tambores usados nos cultos, festas e danças de origem africana.


Catumbi 

Rosário

N’goma ( ingoma ) é o nome nas línguas Bantu que significa tambor. Na África ele é como o sino para as igrejas católicas. Seu toque informa um casamento, um nascimento, uma morte. Há toques para pedir e toques para agradecer, toques para se reunir e toques para se dispersar.

Bumba meu Boi

Em qualquer parte da África ele é mais que um instrumento. É um objeto sagrado que se comunica com este mundo e com o outro. Sua fabricação considera a dádiva das coisas que são doadas pela natureza, a madeira e o couro dos animais.

MinasNovas5

Festa de Nossa Senhora do Rosário

Nos cultos afro brasileiros, quem toca o tambor tem que ser preparado para isso. Afinal é o toque que convida os Orixás, Bankisi e Vodoons a celebrar com os iniciados.

Candombe do Aude - Jaboticatibas - MG

Assim, a presença ou ausência do tambor entre os escravos trazidos para as Américas modificou radicalmente o caminho cultural que eles tomaram.

Se nos Estados Unidos o escravo manifestou sua tristeza e alegria com o canto, já que a voz não podia lhe ser tirada, no Brasil a presença do tambor permitiu que a celebrações mantivessem o vigor e a vibração semelhantes às que haviam na África. Vigor das batidas cadenciadas e vibração do couro esticado.

Festa de Nossa Senhora do Ros‡rio

 

 Uma grande família

 Os tambores mais antigos e tradicionais são feitos de um único tronco escavado com ferramentas ou com fogo e que são usados em algumas Congadas, no Tambor de Crioula e no Candombe e em geral são tocados com as mãos. Esses tambores não são leves e por isso nem sempre aparecem nas procissões e brincadeiras de ruas. As caixas, que são variações dos tambores militares europeus, de vários tamanhos, são usadas nos Maracatus nas Congadas, nos Bumba meu boi e nas procissões e permitiram que a percussão saísse dos terreiros e fosse para a ruas anunciar as festas. Os tambores conhecidos como atabaques são usados no jongo, no samba de roda e nos cultos afro brasileiros e são feitos em partes, como um barril e tocados com baquetas ou com as mãos.

 

Festa de Nossa Senhora do Ros‡rio

 

Festa de Nossa Senhora do Rosário - Minas Novas - MG - Junho 20Antonio Luiz de Matos – Mestre Antonio
Fabricante de caixas e tambores e membro do Congado de São Benedito .
Tem o título de Mestre Tamborzeiro
Minas Novas – MG